O que é brainstorm e como aplicar no seu negócio

Seja para definir o nome de um produto, serviço, ou até mesmo de uma empresa, ou para chegar a uma resolução para um problema crítico em uma organização, o brainstorm é uma excelente forma de encontrar a solução perfeita!

O que é brainstorm?

Ainda que ao pé da letra o termo brainstorm signifique “tempestade cerebral”, o conceito mais fácil de assimilar é o de “chuva de ideias”. Basicamente consiste em uma reunião com um grupo de pessoas em que o foco é levantar uma série de ideias – incluindo as mais absurdas e improváveis – para, chegar a uma que seja perfeita ou o mais próximo possível da perfeição!

O brainstorm parte do princípio de que muitas cabeças pensando chegam a uma solução muito melhor do que poucas.

Como fazer um brainstorm?

O processo se divide em duas etapas: levantamento e organização das ideias.

Levantamento de ideias

Parte-se do princípio de que muitas cabeças pensando chegam a uma solução muito melhor do que poucas. Por isso, a primeira coisa a se fazer num processo de brainstorm é reunir um grupo de pessoas e colocá-los totalmente a par do que será decidido.

Não existe brainstorm sem um conhecimento prévio de todos a respeito do assunto!

A partir daí, vale a pena pedir aos participantes que reflitam previamente sobre o assunto e cogitem soluções antes da reunião. Essa reflexão prévia faz com que as pessoas já cheguem com esboços e sugestões pré-definidos.

Além disso, crie um ambiente agradável para a reunião de brainstorm. Se for preciso, pode ser fora do ambiente da empresa.

Leia também no blog da Cores: Como fazer um briefing de sucesso para criação de artes gráficas

Algumas das regras de um processo de brainstorm são:

– Levantar o máximo de ideias possível
– Deixar a imaginação fluir, isto é, não censurar sugestões que pareçam ruins
– Incentivar soluções criativas
– Combinar ou melhorar as ideias dos participantes

Durante o processo de sugestão, deve haver um facilitador, que não permita que alguns participantes dominem a conversa e que evite conflitos. Esse facilitador também pode ser o responsável por anotar as sugestões.

Organização das ideias

Depois de coletar um grande número de ideias é hora de selecionar o que realmente será usado. Isso pode ser feito por uma só ou por mais pessoas, no entanto, decidir com o grupo todo não é recomendado.

Depois disso é colocar a mão na massa e pôr em prática a solução encontrada!

Falamos acima sobre o processo de brainstorm ideal, que é a reunião de várias pessoas com diversos conhecimentos específicos para chegarem juntas à melhor solução. Entretantom, é possível fazer um brainstorm com um número bem reduzido de pessoas e até mesmo sozinho, caso essa seja a única forma de fazer.

O que vale é manter a essência: levantar o máximo de informações sem críticas e sem limites para a criatividade, anotar tudo num papel e depois filtrar o que é bom e o que não é até chegar na solução ideal!

Lembre-se sempre de que uma ideia perfeita nasce de um turbilhão de ideias imperfeitas!

Ah, e falando sobre criatividade, leia o conteúdo especial que a Gráfica Cores preparou para você com 5 passos para ser mais criativo!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *